O que é e como usar SSH?

O SSH (Secure SHell) é um protocolo que permite a você acessar virtualmente o servidor como se você estivesse em um terminal (no prompt do DOS, por exemplo). Se você preferir, considere como o SSH como um computador controlando outro computador.

A diferença entre o telnet e o SSH está na segurança. Toda a transmissão de dados no SSH é criptografada. Assim, os riscos de alguém "bisbilhotar" o que você está fazendo no servidor (às vezes você precisa transmitir senhas para acessar outros sistemas ou programas) é virtualmente zero. Fora isso, tudo o que você faz no telnet pode ser feito pelo SSH.

Quando você conecta via terminal remoto com seu servidor, você está controlando aquele servidor a partir de seu sistema operacional. Qualquer comando que você digitar é executado no servidor (e não no seu PC) e você opera de acordo com os paramêtros de comandos do servidor.

Para acessar o protocolo SSH é necessário um programa que conecte na porta 22. Neste tutorial iremos utilizar o Putty. Um programa de fácil execução e satisfaz qualquer usuário. Para fazer download do programa clique no link abaixo:

Putty

 

Utilizando o Programa Putty

Após abrir o programa Putty aparacerá a caixa a cima que deverá ser preenchida da seguinte forma:
1. Host Name: Digite seu domínio de conta Linux.
2. SSH: Selecione o protocolo SSH, para ter a conexão na porta 22.
3. Clique em "Open"

 

Acessando a Linha de Comando

Na próxima tela você deverá preencher com o seu usuário e senha de FTP. Após isso você já estará logado no servidor da HostFocus via SSH.

 

Comandos Basicos

A seguir está uma lista de comandos do Unix que nós achamos especialmente úteis quando se trata de administrar sites no servidor. A maioria dos comandos Unix tem muitas opções e parâmetros que não estão listados aqui. Em vez disso, nós mostramos exemplos para uso prático. Para mais informações você pode digitar man [comando] no prompt.

OBS: Quando escrevemos algo em colchetes, tal como [arquivo], isso significa que você deve digitar o nome do arquivo somente. Não inclua os colchetes no seu comando.


Navegando no Unix

/ (refere-se ao diretório raiz no servidor)
./ (refere-se ao diretório em que você se encontra)
../ (refere-se ao diretório pai do que você se encontra)

pwd (mostra qual é o diretório em que você se encontra -- dá o caminho completo)

ls (lista todos os arquivos do seu diretório atual)
ls -al (lista todos os arquivos + informações)
ls -alR (lista todos os arquivos + informações em todos os subdiretórios)
ls -alR | more (lista todos os arquivos + informações em todos os subdiretórios, criando uma pausa)
ls -alR > resultado.txt (lista todos os arquivos + informações em todos os subdiretórios, mas envia todas as informações para um arquivo ao invés de mostrar na tela)
ls *.html (lista todos os arquivos que terminam com .html)
ls -al home/usr/guto/ (lista todos os arquivos + informações de /home/usr/guto)

cd (muda para um novo diretório)
cd imagens (muda para o diretório imagens)
cd / (muda para o diretório raiz)
cd /home/usr/imagens (muda para o diretório /home/usr/imagens)
cd .. (volta um diretório)

 

Criando, movendo, copiando e apagando diretórios

mkdir [nomedodiretório] (cria um novo diretório)

ls -d */ (lista todos os subdiretórios dentro do diretório atual)

cp -r [nomedodiretório] [novo nomedediretório] (copia um diretório e todos os seus arquivos/subdiretórios)

rmdir [nomedodiretório] (apaga um diretório se estiver vazio)
rm -r [nomedodiretório] (remove um diretório e todos seus arquivos)

Pesquisando arquivos e diretórios:

find / -name [arquivo] -print (procura em todo servidor por um arquivo)
find . -name [arquivo] -print (procura por um arquivo começando pelo diretório atual)
find / -name [nomedodiretório] -type d -print (procure no servidor inteiro por um diretório)

locate [arquivo] (procura em todo servidor por um arquivo em um banco de dados com todos os arquivos do sistema, renovado uma vez por dia: é bem mais eficiente que o find)

grep [texto] [nomedoarquivo] (procura por um texto dentro de um arquivo)

sed s/[textoantigo]/[novotexto]/g [nomedoarquivo] (faz uma varredura no arquivo e troca todas as ocorrências do [textoantigo] por [novotexto])

 

Permissões para arquivos e diretórios

Existem três tipos de permissões para arquivos: ler, escrever e executar. Além disso, você pode definir permissões em três níveis: para o dono do arquivo, para o grupo de usuários e para todo mundo. O comando chmod seguido por três números é usado para mudar as permissões. O primeiro é a permissão para o dono, o segundo para o grupo e o terceiro para todos. Veja a seguir como os níveis de permissão são representados:

0 = sem permissão
1 = somente executar
2 = somente escrever
3 = escrever e executar
4 = somente leitura
5 = leitura e executar
6 = ler e escrever
7 = ler, escrever e executar

 

Permissões de arquivos mais usadas:

chmod 604 [arquivo] (permissão mínima para arquivos HTML www)
chmod 705 [nomedodiretório] (permissão mínima para diretórios www)
chmod 755 [arquivo] (permissão mínima para scripts & programas www)
chmod 606 [arquivo] (permissão para arquivos de dados usados por scripts)
chmod 703 [nomedodiretório] (permissão somente para escrita para FTP público para carregar arquivos)

  • Email, SSL
  • 59 Benutzer fanden dies hilfreich
War diese Antwort hilfreich?

Related Articles

O que é e como fazer um tracert (traceroute)?

O Traceroute é uma ferramenta que permite observar a trajetória de um pacote de...

Meu site está fora do ar. O que devo fazer?

01. Verifique se seu site está realmente offline. Muitas vezes ocorrem problemas...

O que é Internal Server Error 500 (Erro Interno do Servidor) no site?

O erro 500 indica uma falha interna no servidor que pode ser causado por um erro de...

Como configurar os DNSs do OpenDNS?

  Se você está tendo problemas para acessar seu site devido a resolução de DNS em sua rede...

Como limpar o cache do navegador?

Muitas vezes quando se atualiza um arquivo no servidor, essa mudança não aparece...

Powered by WHMCompleteSolution